DSC01250_edited.jpg

O QUE É

BLUEGRASS?

        Ela tem suas bases misturadas na música tradicional escocesa, afro-americana, inglesa, do País de Gales e irlandesa. O gênero foi inspirado pela música de imigrantes do Reino Unido e da Irlanda (em particular a de imigrantes escoceses-irlandeses nos montes Appalaches, entre o Kentucky e Tennessee).

        O bluegrass tradicional normalmente utiliza certo conjunto de instrumentos acústicos de cordas: o bandolim, violão, banjo 5-cordas, violino, dobro e contrabaixo acústico, com ou sem vocais.

        O bluegrass atraiu e atrai seguidores leais pelo mundo todo.

Seu principal pioneiro, Bill Monroe, caracterizou o gênero desta forma: 

    Bluegrass é uma forma de música de raiz norte-americana e é uma das principais vertentes da música country

Navegue por imagens e vídeos se conecte a essa viagem sobre a história do bluegrass

 É musica que traz uma boa historia.

É blues e jazz, e tem o agudo solitário (high lonesome sound).

É violino dos velhos tempos. É metodista, sagrado e batista.

Bluegrass é música que importa.

É musica tocada de coração pra coração e vai tocar o seu.

     Decidiu-se que, considerando que Bill foi o primeiro, emergiu do estado do Kentucky (que é apelidado de "bluegrass state" por causa de uma grama especifica que há no estado) e teve sua banda Blue Grass Boys, o gênero seria chamado de "bluegrass".

       De 1946 a 1948 a banda de Bill Monroe, que contava com Scruggs no banjo, o cantor e violonista Lester Flatt, o violinista Chubby Wise e o baixista Howard Watts, criou o formato e a configuração instrumental definitiva, que continua a ser um modelo para os dias de hoje. Por um tempo, enquanto os Blue Grass Boys eram a única banda tocando esse tipo de música, era apenas o seu estilo único, não poderia ser considerado um gênero musical, ja que não haviam outras bandas tocando de maneira similar. Em 1947, os Stanley Brothers gravaram a canção tradicional "Molly and Tenbrooks" no mesmo estilo dos Blue Grass Boys, e isso pode ser apontado como o início do bluegrass como um estilo. Em meados de 1948, outros artistas começam a usar a mesma linguagem e o bluegrass começa a surgir como um gênero na indústria da música country pós-guerra. Este período é caracterizado como a “Golden Age”(Era de Ouro), que foi o ponto de partida do “traditional bluegrass”.

   O bluegrass como um estilo, se desenvolveu durante meados da década de 1940. Paralelo ao seu surgimento, no mundo da música desenvolvia-se o Bebop e o Rock'n Roll surgiria cerca de oito anos depois. Como acontece com qualquer gênero musical, ninguém pretendia inventa-lo. Ele surge de uma uma mistura da musica antiga (old time music), gospel, blues e ragtime. No entanto, os primórdios bluegrass podem ser atribuídos a uma banda específica. Hoje Bill Monroe é referido como o "pai e fundador" da música bluegrass, tanto que o estilo foi nomeado por causa de sua banda Blue Grass Boys, formada em 1939. Em 1945, a adição do banjo de Earl Scruggs é considerada o momento-chave no desenvolvimento do gênero.

COMO TUDO COMEÇOU

PRIMEIRA

GERAÇÃO

        Os músicos de bluegrass da primeira geração dominaram o gênero desde o seu início em meados da década de 1940 até meados dos anos 1960.

Esse grupo de artistas é composto por aqueles que estavam em ação durante o "Golden Age", final dos anos 40, inicio dos 50, incluindo Bill Monroe and his Blue Grass Boys, The Stanley Brothers, Lester Flatt & Earl Scruggs (ex Bluegrass Boys) with Foggy Mountain Boys, Reno & Smiley, Hylo Brown and The Timberliners, Ervin T. Rouse, The Sauceman Brothers, Lonesome Pine Fiddlers, Jim & Jesse, Jimmy Martin, The Osborne Brothers, Mac Wiseman, Stringbean, Wade Mainer and his Mountaineers, Mac Martin and The Dixie Travelers, Carl Story and his Rambling Mountaineers, Buzz Busby, The Lilly Brothers and Jim Eanes.

Este é um momento aonde o bluegrass cada vez mais está se consolidando como genênero musical. Seu público ainda é um público ligado à musica country, mas começa uma expansão após o sitcon Beverly Hillbillies trazer interpretação de Flatt & Scruggs para a música tema, "The Ballad of Jed Clampett"

SEGUNDA

GERAÇÃO

     Uma segunda geração de músicos de bluegrass começou a tocar, compor e gravar em meados da década de 1960, embora muitos tivessem tocado em bandas da primeira geração quando novos.

    Após a vinda do rock'n Roll, houve um declínio em geral na música country, porém novos públicos começavam a ouvir e se interessar por bluegrass, sendo o público de música folk, um dos principais. Outro ponto chave foi o filme Bonnie and Clyde, em 1967, trazendo como tema a música Foggy Mountain Breakdown, levando o bluegrass a novos ouvintes. Esta era uma é marcada por um ressurgimento do estilo e por grandes festivais de bluegrass. Alguns artistas desta geração são J.D. Crowe & The New South, Doyle Lawson, The Country Gentleman, Larry Sparks, John Hartford, Doc Watson, Norman Blake, Frank Wakefield, Harley "Red" Allen, Bill Keith, Del McCoury, os jovens Tony Rice e Sam Bush. Assim que se aperfeiçoaram no estilo, o New Grass Revival, Seldom Scene, The Kentucky Colonels, The Dillards e Country Gazette desenvolveram o bluegrass progressivo. Hazel Dickens também marca a geração como uma das primeiras mulheres no gênero.

    Em uma colaboração, o violinista da primeira geração Vassar Clements, o bandolinista progressivo David Grisman, o vocalista do Grateful Dead Jerry Garcia (banjo) e Peter Rowan nos vocais formaram a banda chamada “Old and In The Way”. Garcia, Chris Hillman , os Stanley Brothers e outros em 1960 e 1970 ajudaram a introduzir o bluegrass progressivo e tradicional aos ouvintes de rock. Bush, Grisman, Clements colocaram muitos dos elementos do jazz em suas interpretações - Clements gostava de se referir à sua música como "jazz caipira" - mas sem nunca deixar a raiz do bluegrass tradicional.

Bluegrass da terceira geração é desenvolvido em meados da década de 1980. O bluegrass cresceu, amadureceu e se ampliou a partir da música tocada nos anos anteriores. Muitos da segunda geração, também estiveram em evidência nesta Terceira. Esta geração redefiniu o "bluegrass mainstream".

O equipamento de som, que ja era de alta qualidade, permitiu que cada membro da banda pudesse ser microfonado de forma independente, a exemplo de Tony Rice Unit and The Bluegrass Album Band. Tony Rice apresentou solos de violão muito elaborados e outras bandas seguiram seu estilo. Algumas bandas começaram a usar baixo elétrico, alternativa ao baixo acústico do bluegrass tradicional, mas isso não virou regra. Os outros instrumentos se mantiveram acústicos. Progressões de acordes não-tradicionais também se tornaram mais populares e aceitas. Ao mesmo tempo que havia essa progressão, esta geração viu o renascer de canções tradicionais tocadas no novo estilo. A Johnson Mountain Boys foi uma das mais populares da década

As bandas e músicos que se destacaram nesse período foram Tony Rice Unit, Ricky Skaggs (que também atacou na country music), Alison Krauss, Mark O`Connor, New Grass Revival, Hot Rize, Nashville Bluegrass Band, Lonesome River Band, Stuart Duncan, Jerry Douglas, The Dreadful Snakes e Bela Fléck (solo).

TERCEIRA

GERAÇÃO

Artistas da música country como Emmylou Harris, Dolly Parton e Nitty Gritty Dirt Band também começaram a gravar discos homenageando o bluegrass ou utilizando sua intrumentação.

DESENVOLVIMENTOS

RECENTES

        Nas últimas décadas o bluegrass atingiu um público ainda mais amplo. Grandes artistas do mainstream da música country continuaram gravaram álbuns de bluegrass, incluindo Patty Loveless, Dixie Chicks e Steve Earle. Desde a década de 1990, Ricky Skaggs, que começou como um músico de bluegrass mas partiu pra musica country na década de 1980, voltou com tudo para bluegrass com sua banda Kentucky Thunder. Alison Krauss & Union Station, desde 1989 se destacaram nessa nova geração, atingindo recordes de venda e vencendo inúmeros Grammy Awards. O filme “Ei, Meu Irmão! Cadê Você?”, lançado pelos Irmãos Cohen em 2000, com uma trilha Sonora repleta de old-time music e bluegrass, acabou trazendo inúmeros novos fãs ao estilo e gerando a turnê e o documentário "Down From The Mountain". 

     Enquanto isso, festivais como o Telluride Bluegrass Festival, Rocky-Grass em Lyons (Colorado), ROMP (Kentucky) e bandas como Yonder Mountain String Band, Blue Highway, Rhonda Vincent e Druhá Trava (República Tcheca) atraem grandes públicos e expandem o leque do bluegrass progressivo em atmosferas de jams em bandas de universidades, muitas vezes chamado de "jamgrass". Bluegrass se fundiu com o jazz na música de Bela Fleck and the Flecktones, Tony Rice Unit, Sam Bush, Doc Watson, e outros.

    Atualmente, artistas como Chris Thile, Molly Tuttle, Billy Strings, Sierra Hull e Sarah Jarosz vêm adicionando muita energia e uma nova sonoridade ao estilo, ja que são de uma geração que não necessariamente cresceu ouvindo somente clássicos do blugrass, mas muitas outras ramificações da música contemporânea. Foi justamente essa mistura de influências que formou a sonoridade do estilo que tanto amamos: o bluegrass.

Principais Fontes:

Livros:

The Bluegrass Reader - Thomas Goldsmith

Country Music Reader - Travis D. Stimerling

Bluegrass Time – A Musician’s Photographs of the Early Days of Bluegrass Festivals - Phil Zimmerman

Documentários:

Bill Monroe Father of Bluegrass Music

High Lonesome: The Story of Bluegrass Music

Bluegrass Country Soul

Country Music - Ken Burns

  • Instagram - White Circle
  • Facebook - White Circle
  • Spotify - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco

© 2021 by BRBMA.